sábado, 9 de junho de 2018

A farsa do amado

É talvez abusivo, esse ato involuntário de trazermos as pessoas no coração, arrastando-as por aí, para onde quer que vamos, decidindo que estão junto de nós onde mais nos apetecem, fazendo-as presentes onde não decidiram ir, obrigando-as a partilhar connosco músicas que não ouvem e instantes que não sentem, forçando-as a personagens de uma história que afinal é apenas nossa. 
A tragédia do amante é a farsa do amado.
E bem sei que ninguém pensa nisto mas, na verdade, transportar pessoas no coração é uma terrível falta de ética. 

6 comentários:

  1. Respostas
    1. E, se calhar, até mesmo ataques cardíacos ...
      (Estás a ficar um pragmático, Cigano)

      Eliminar
    2. que insulto! toda a gente sabe que sou um incurável romântico :)

      Eliminar
  2. E com a actual lei de protecção de dados nem sei se não será crime:)
    ~CC~

    ResponderEliminar
  3. Sim, não tinha pensado nisso. No mínimo é crime!

    ResponderEliminar