quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Introducing Medusas' new shrink: Erasmus

"Mas o homem, nascido para administrar as coisas, deveria receber um pouco mais do que uma onça de razão. Júpiter consultou-me a este respeito e dei-lhe um conselho digno de mim: o de unir a mulher ao varão. A mulher é um animal louco como nenhum, inepto, ridículo e delicioso que no convívio doméstico atenuaria a tristeza do engenho viril com a loucura feminina. E claro que, quando Platão parece hesitar em incluir a mulher entre os animais racionais, nada mais pretende do que indicar a loucura insigne desse sexo. Quando por acaso uma mulher quer passar por sábia, não faz mais do que dizer que é duas vezes louca. Ninguém vai ungir um boi para a palestra, nem Minerva o consentiria. Não procedamos, pois, contra a natureza; o vício fica agravado quando dissimulado de virtude, por maior que seja o engenho. É bem justo o provérbio grego: um macaco é sempre um macaco, ainda que vestido de púrpura. Assim, também a mulher é sempre mulher, quero dizer, sempre louca, ainda que ponha uma máscara."
Erasmo de Roterdão ::: Stultitiae Laus * 1511

3 comentários:

  1. Finalmente, um homem que me compreende!

    ResponderEliminar
  2. É caso para dizer: Erasmo, faz-me um filho!
    p.s: quanto achas que ele media?

    ResponderEliminar