domingo, 14 de junho de 2015

Amar








Amar é mais ou menos o mesmo do que engolir uma granada e entregar o detonador nas mãos de alguém que não se conhece de lugar nenhum.

Pode matar-nos uma palavra; uma música; um nome; um olhar. Pode matar-nos, por absurdo, o absoluto nada.
Não sei como ainda há pessoas que entusiasticamente se disponibilizam para a prática de desportos em que se morre por tudo e por nada.

6 comentários:

  1. Pirata, acho que as granadas não têm detonadores que possam ser despoletados à distância...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Humpff...
      Tenho de rever isto das metáforas bélicas.

      Eliminar
  2. É prudente não entregar as chaves do reino a desconhecidos.

    ResponderEliminar
  3. Nestas matérias todos somos desconhecidos. Até nós próprios.

    ResponderEliminar