segunda-feira, 20 de junho de 2016

Terá de bastar um solstício



Por mais que se anseie por uma chuva de sapos, ou um horizonte em tons de ouro e cinza que nos seja inesquecível, ou uma noite de violenta trovoada no mar, ou um cometa que nos caia junto aos pés, ou qualquer outro marco iconoclasta que sirva os propósitos da catarse, por vezes, não há ruído que nos venha arrancar à letargia. 
Nessas alturas, terá de bastar um solstício.  


(Imagem de George Grie, trazida pela Flor e demasiado bonita para ficar numa caixa de comentários)

3 comentários:

  1. quem te ouvir até pensa que um solstício é mau... já me contentei com pão e manteiga!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É bom, mas não é uma chuva de sapos. Eu queria uma chuva de sapos!

      Eliminar