domingo, 4 de outubro de 2015

Liberdade assintótica

Não haveria muito mais quem, entre o mar e a terra, tivesse a capacidade de me fazer entender que o problema, este insolúvel problema que me perturba, é nada menos que a velha conhecida questão da liberdade assintótica: 



"Liberdade assintótica é uma propriedade da cromodinâmica quântica, a teoria quântica de camposde interações nucleares entre quarks egluons, os constituintes fundamentais da matéria nuclear. Quarks interagem fracamente em altas energias, permitindo cálculos perturbativos, feitos pelo DGLAP (grupo de cientistas que escreveram pela primeira vez sobre a evolução da teoria de cromodinâmica quântica), de cortes transversais em processos inelásticos de física de partículas; e interagem fortemente em energias baixas, prevenindo a separação de bárions (como prótons ouneutrons com três quarks) ou mesons(como píons com dois quarks), as partículas compostas de matéria nuclear."
(Da wikipedia)

Que é como quem diz: a liberdade é inversamente proporcional à força do desejo.

14 comentários:

  1. não percebi nada do excerto da Wikipédia, mas pelo teu resumo, parece coisa simples :) se nada desejar, sou livre, certo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Flor, vejo aqui um jeito inato para a física quântica!!!!!
      :)

      Eliminar
    2. ora essa, Cuca, que me enrubesço :))

      (era física quântica ou ouvir as boas-noites do Vitinho, a opção, na altura, não me pareceu muito difícil. hoje, bem me arrependo. transformei-me num ser humano gelado.)

      Eliminar
  2. Oh, mas nada temas. A física quântica também dá resposta à problemática da reversibilidade dos traços de personalidade.
    É ver isto vinte vezes:
    http://youtu.be/PyAZaMtvrDY

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. óóóóóó!!! tão fofo!!!

      ...então era assim?... uma infância perdida, foi o que acabaste de me oferecer, Cuca. na altura adormecia a ler Max Planck... :))

      Eliminar
    2. https://www.youtube.com/watch?v=GMyZHP35XDU

      :)

      Eliminar
    3. Caramba... assim de repente tornei-me quase... humana!!!!
      :)))

      Eliminar
    4. é do Principio do Gigio :b

      (é melhor não abusar destes vídeos saudosistas. hoje não é o melhor dia para regressar à espécie :)

      Eliminar
  3. Pirata, estou em estado de fraqueza mas vamos lá a isto. Basicamente, se andar ao deus dará (energias baixas) os destino (as outras partículas) actuarão fortemente sobre si, e vice-versa. É um bocadinho como as amizades de rede social - a distância aumenta, a energia diminui, mas a interacção é frequente e forte. Depois há quem lhe serve o café habitualmente como você gosta, sem ter de o pedir ou repetir que é sem açúcar, a interacção é fraca, a energia também e a distância é muito menor que a da rede social.

    Neste momento a minha energia é baixa, estou a vinte passos do jantar e é melhor ir comê-lo.

    p.s. - e ainda tive de selecionar todas as imagens com panquecas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh anónimo mauzão,
      E a parte do desejo, onde fica?
      Isto era um post encapotadamente erótico!
      (Mas mandou fazer as panquecas à medida??)

      Eliminar
    2. As panquecas são à minha medida e directamente proporcionais à força do guarnecimento dos meus desejos. Não gosto de panquecas virginalmente encapotadas porque é de uma enorme falta de imaginação. Usem-se frutos, mel, manteiga derretida, bolas de gelado, canela, sal e pimenta. Farei o meu melhor e sem esforço por as apreciar precisamente pelo que trazem depois de se libertarem desses encapotamentos. Enroladas em charuto, pendonas na minha mão, bem-comportadas em cima de um prato, é se assim quiserem com etiqueta degustadas pedaço por pedaço, com a lentidão aprazível.

      Uma panqueca chamada desejo?

      Eliminar
    3. (O ´é o guarnecimento do e, não é um erro ortográfico)

      Eliminar
    4. Esse comentário é bastante mais encapotadamente erótico do que o post.
      :)

      Eliminar