sexta-feira, 29 de abril de 2016

Contos do Lago Tanganica - a vitória

Num início de tarde de domingo, numa medina marroquina, achámo-nos em frente de uma porta prateada com tachas da mais fina porcelana do azul dos olhos berberes. Tagik, o berbere, convidou-nos a entrar e cobrou-nos cinco euros por duas estórias. Juntamente com a túnica branca, despi o pó das ruas e sentei-me descalça na fresca penumbra, a fumar o cachimbo de água que me estendeu, concentrada no tom hipnótico da voz profunda que em francês me jurava, "reza a lenda que, num lago rodeado por um jardim de laranjeiras, mas Alá sabe mais..."
Cinco euros por duas estórias é modesto preço para quem as coleciona ao ponto de, em tempos, delas ter dependido para adormecer e de, agora, as pedir a desconhecidos. Mas quando Tagik, o berbere, me ofereceu uma terceira estória, pedi-lhe que a guardasse para a contar a um desconhecido que a não pudesse pagar. Então Tagik perguntou-me se estaria interessada em comprar-lhe um espelho mágico que, reza a lenda, mas Alá sabe mais, faria parte de nada menos que do espólio da madrasta da branca de neve. O insuspeito espelho viajou muitos quilómetros e acabou de costas voltadas para o mundo - que é a forma como penduram os espelhos os titulares de consciências duvidosas - na parede do meu quarto.
Pôs ontem fim à sua milenar mudez. Atormentada pela incerteza dos caminhos de uma guerra fratricida, rodeada de inocentes reféns e desapossada de um certificado oficial de preferida do sanção de Tanganica, enfrentei o espelho e fiz-lhe a pergunta terrível.
O espelho, que não conhece a mentira, disse-me que sou a preferida da Palmier Encoberto. 
Foi assim que, ganha a guerra, voluntariamente decidi libertar os reféns.
Contar-vos-ão outras estórias. Em cada um dos habitantes do Lago vive Tagik, o berbere. É essa a sua magia.
Porém, só o espelho não conhece a mentira. 
E, diz-se, Alá sabe ainda mais.





7 comentários:

  1. Respostas
    1. O Tagik, o berbere, que há em mim é que agradece por cada uma uma das estórias que me compra. Não há nada mais triste do que um contador de estórias sem clientes.

      Eliminar
    2. (Aliás, agradece ao Tagik que há em si)

      Eliminar
  2. Esta história tão bem contada coloca-a numa posição preferencial para aquela situação...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou sempre a facilitar-lhe a vida, é o que é!

      Eliminar
  3. E fomos felizes para sempre...

    (Não fosse, claro, este comentário aqui em cima que eu evidentemente não li...)

    <3<3<3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para sempre ou até que nos cansemos da paz. O que vier primeiro! :)))

      Eliminar