segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Música dos deuses


14 comentários:

  1. A tristeza, como motor anímico, as emoções, combustível humano, aumentam-nos em potência para que nos acerquemos do Divino, porque inefável, sendo que a música é para tal, suponho, o veículo mais eficaz.

    ass: Lady Espinoza

    :D

    (costumo chamar a esta composição "a mais triste do mundo", e Beleza não há outra)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão. É provavelmente a música mais triste do mundo.

      Eliminar
    2. Estará entre as mais tristes, mas acho que esta é uma séria concorrente:
      https://www.youtube.com/watch?v=TzJyIWxjX9o

      Eliminar
    3. Em matéria de impulso para cortar os pulsos, parece-me de menor eficácia. E para não fazermos batota, temos de descontar o efeito vocal.
      :)

      Eliminar
    4. Já esta ...

      https://m.youtube.com/watch?v=w-Zcc-OvzA8

      Eliminar
    5. Eu diria que, naquele caso, os pulsos já estão cortados, todo o corpinho exangue:

      (A letra é esta, vertida do alemão para inglês -- não tive força anímica para a traduzir:

      I am lost to the world
      with which I used to waste so much time,
      It has heard nothing from me for so long
      that it may very well believe that I am dead!

      It is of no consequence to me
      Whether it thinks me dead;
      I cannot deny it,
      for I really am dead to the world.

      I am dead to the world's tumult,
      And I rest in a quiet realm!
      I live alone in my heaven,
      In my love and in my song.)

      Eliminar
    6. Lá está! É uma excelente música para um morto, mas não é uma arma letal!

      Eliminar
  2. Não sei se já conheces este extraordinário sacrilégio? :

    https://www.youtube.com/watch?v=3nO9LS_U3LI

    ResponderEliminar
  3. Dá água pela Barber ao outro, que é fantástico e até mais mediático, mas porventura não tão profundo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, mas olha que eu também gosto muito do Bernstein...

      Eliminar
  4. algo contemporâneo

    The Host of Seraphim, Dead can Dance
    Unravelling, Harry Escott
    Love, Mica Levi
    An Ending, Brian Eno
    Gaze, Guthrie e Budd

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada.
      Gostei especialmente de Gaze. Do outro mundo.

      Eliminar
  5. Ui, que surpresa maravilhosa, tantas propostas musicais para hoje. Vou escutá-las todas, obrigada, a ver se o corpo lhes resiste, caso contrário, gostei muito sinceramente destes bocados! :)

    ResponderEliminar