segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Mar de Tédio

Já sem o excesso de passado que alimenta a depressão e também já sem o excesso de futuro que é combustível da ansiedade.
De presente, restou isto. O tédio antecedido pelo tédio e seguido da promessa de mais tédio. A tranquilidade de boiar de costas num imenso e infinito mar de tédio. 

4 comentários:

  1. Daí o(s) tango(s)?
    É deixá-lo(s) actuar, mas atenção, que se não fazem a solo. Diz na bula, eu li :)

    ResponderEliminar
  2. "Comparado com o tédio que me espera, aquele que me habita parece-me tão agradavelmente insuportável que tenho medo de vir a esgotar o seu terror."
    "Entediarmo-nos é mascar tempo."
    Etc. ...

    Cioran (o mestre do tédio :) )
    Silogismos da Amargura

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alinda não li mas já estou a ver se consigo o livro!!

      Eliminar