quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Sindicato das Musas


Era uma péssima musa.
Odiava toda a obra manchada pela mais ténue sombra de inspiração de fonte própria.
Pelos seus artistas nunca soube sentir mais do que a zanga profunda.
Ansiou o silêncio dos poetas, a cegueira dos pintores, a surdez dos músicos.
Cada uma das maravilhas que lhe deram, sentiu-a como se um filho que lhe roubassem.
De pés presos ao pedestal, olhos vazios, sorriso de mármore, invejou-lhes os ossos, as veias e a carne.
Desprezou-os pela mentira e pelo logro.
Não se ama uma boneca de pedra.
Adorou o vento norte, a chuva grave, o gelo noturno.
Essa tríade libertadora de musas exaustas.







4 comentários:

  1. Tudo muito gracioso e tal, mas eu gostava era de saber onde vai ser o pilates. Ando aqui perdida vai para cima de dez minutos e as portas estão todas fechadas, não se ouve vivalma, porra, já me enganaram outra vez!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No convés, claro. Aqui fazemos tudo no convés. Anda.

      Eliminar