terça-feira, 7 de julho de 2015

O erro

Observo-a embevecida. Limpo-lho o pó. Puxo-lhe o lustro. Guardo-a no lugar mais seguro que tenho. Regresso para a contemplar uma vez mais. É perfeita. É minha. É única. É o meu bem mais precioso. 
É a memória do meu erro consciente. O Único. 
Certificado de fraqueza. De desvario. De impotência. De rendição. 
Memória da minha humanidade. 

11 comentários:

  1. "É a memória do meu erro consciente." - este amor...
    "O Único." - por ti...

    [are you ready for the day after tomorrow? :) Boa noite Cuca, um beijinho]

    ResponderEliminar
  2. melhor dizendo, é já Amanhã. :)

    ResponderEliminar
  3. A consciência.
    Fraqueza, desvario, impotência... somos humanos e a nossa consciência não nos deixa em paz... por isso mesmo...
    Bejocas

    ResponderEliminar
  4. Não andes a puxar o lustro aos erros, é para isso que servem as senhoras da limpeza. Com sorte, parte-o num momendo de desinspiração e o erro que em tempos foi teu, passa a ser dela.

    ResponderEliminar