quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Como um rei

O coelho como rei dos fantasmas 


A dificuldade de pensar no final do dia,
Quando a sombra disforme cobre o sol 
E nada sobra a não ser a luz na tua pele - 

Havia o gato a lamber o seu leite todo o dia 
Gato gordo, língua vermelha, mente verde, leite branco 
E Agosto, o mês mais tranquilo.

Existir, na relva, no mais tranquilo dos tempos, 
Sem aquele monumento de gato,
O gato esquecido na lua;

E sentir que a luz é uma luz de presença,  
Onde tudo é pensado para ti
E nada precisa ser explicado;

Então não há nada em que pensar; tudo nasce de si próprio;
E o Este apressa o Oeste e o Oeste apressa-se. 
Não interessa. A relva está cheia.

E cheia de ti. As árvores em redor são para ti,
O todo da imensidão da noite é para ti,
Um ser que toca todos os limites,

Tu tornas-te num ser que preenche os quatro cantos da noite. 
O gato vermelho esconde-se no brilho do pelo
E lá estás tu, a subir a duna, na duna,

estás cada vez mais alto, na duna, preto como pedra
Sentas-te com a tua cabeça como uma escultura no espaço 
E o pequeno gato verde é um inseto na relva. 

Wallace Stevens
Tradução de Cuca 


The rabbit as the king of the ghosts

The difficulty to think at the end of day,
When the shapeless shadow covers the sun
And nothing is left except light on your fur—

There was the cat slopping its milk all day,
Fat cat, red tongue, green mind, white milk
And August the most peaceful month.

To be, in the grass, in the peacefullest time,
Without that monument of cat,
The cat forgotten in the moon;

And to feel that the light is a rabbit-light,
In which everything is meant for you
And nothing need be explained;

Then there is nothing to think of. It comes of itself;
And east rushes west and west rushes down,
No matter. The grass is full

And full of yourself. The trees around are for you,
The whole of the wideness of night is for you,
A self that touches all edges,

You become a self that fills the four corners of night.
The red cat hides away in the fur-light
And there you are humped high, humped up,

You are humped higher and higher, black as stone—
You sit with your head like a carving in space
And the little green cat is a bug in the grass.


2 comentários:

  1. Diria que será necessário fazer uma emenda na biografia de Wallace Stevens: em vez de apenas em Hartford, Connecticut, deve ter de certeza vivido por cá algum tempo, tão próxima nos soa a poesia dele. (Magnífica versão portuguesa).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ambos sabemos que aquilo das dunas é muito discutível :)

      Eliminar