quarta-feira, 24 de maio de 2017

Formiga

Armazenei-as o mais que soube. Mas, ao entardecer, pendurada no telhado pelos dedos dos pés, vi fugir-me da vista a última das metáforas. 
Este inusitado início de tristeza, bem sei, não é se não o espaço vazio que antecede a chegada da realidade. 
Ninguém precisa da realidade.


7 comentários:

  1. Respostas
    1. Podemos organizar uma expedição pirata de resgate das metáforas perdidas. Vale?

      Eliminar
  2. https://scontent.fopo2-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18557433_1051432984956148_6440093155395550569_n.jpg?oh=661d4595855b4b3ec8802a0f28eaeb89&oe=59A9F008

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Temos de fugir dessa gaja antes que nos apanhe!

      Eliminar
  3. Fico sempre perplexa ao ver como as palavras sem sentido lhe jorram dando às mesmas o sentido da corrente que as entrelaçam.

    Maman

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu fico sempre contente quando tenho Maman aqui a comentar-me. Abracinho.

      Eliminar