sexta-feira, 11 de maio de 2018

Quanto tempo o tempo tem

A ampulheta de vidro moído em cima da minha secretária conta um inteiro dia. Vinte e quatro horas. Chego a tempo de ver cair o último átomo e de a voltar ao contrário para que a vida não se suspenda no avesso do tempo. 
O tempo já só me interessa enquanto unidade de medida de outras coisas: Das estórias. Quantas estórias serão dois anos? Ou do amor, por exemplo. Quanto tempo demora esquecer um homem? 

- Cinco dias, diz-me a ampulheta.

 Parece-me um prazo razoável. 
Cinco dias ou a vida toda.   

10 comentários:

  1. três anos, digo eu, ou a vida toda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olha, afinal, vidas, encarnações a perder de vista...

      Eliminar
    2. Acho que só há duas modalidades: 5 dias ou a vida toda!

      Eliminar
  2. Eu diria que não há paradigma. No amor, "esquecer" é um verbo irregular.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou uma forma verbal infinita.
      Espero que isso exista. :)

      Eliminar
  3. D. Pipoco conhece o segredo, magnífica Rainha do Azul.
    Escreve acerca disso até à exaustão na sua crónica semanal "mulher = paciência x problemas-ao-quadrado".

    Cavaco Silva, sr Professor e Presidente Emérito, também sabe que só nascendo duas vezes se resolve determinados problemas.

    E, no entanto, no limite, é apenas o tempo que demora encontrar outro digno espécime. É como um emprego, a dar crédito às estatísticas oficiais. Basta sair à rua. É difícil não esbarrar com um.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gosto da sua lógica. Até à eternidade ou ao próximo, o que vier primeiro! :)

      Eliminar
  4. As variáveis são mais que muitos, por isso me inclino para a variabilidade imensa que o esquecimento tem - sim de três dias a uma vida inteira ou só mesmo noutra encarnação. E mesmo encontrando outro não é certo que se esqueça o anterior...
    ~CC~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. À cautela é melhor não deixar essas coisas para a próxima encarnação.

      Eliminar